1 de jul de 2015

(des)esperança

Essa coisa que denomino de esperança
se fartou do cansaço diário dos deveres, do estar sempre à frente mesmo quando um prefixo, inconveniente, insiste em reclamar lugar. 

Por hora, aceito a condição para que caiba alguma paz aqui por dentro. Pouca que seja,  mas que dê conta do hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário