4 de abr de 2015

das dores comuns


julgar a dor alheia por merecimento
por destino, por má sorte,
até se entranhar nela,
e se perder nela,
e se encontrar:

o outro sou eu.

Um comentário:

  1. A dor alheia me parece menor
    Até perceber que eu era outro.
    Dor de amor muda - de casa.

    Abraços,
    Fabiano Favretto

    ResponderExcluir