29 de abr de 2012

Pontuação


Eu me embalo nas exclamações, nas reticências.
[...] Por isso vivo fazendo das interrogações, uma vida inteira,
com direito a pontos de continuação, e atrasando os pontos finais.
É assim, sempre ... porque o ‘’nunca’’ exige ponto final e não me doou a exigências.
Mas, ‘’vezenquando'' aparecem terceiros!
--- E o travessão, pontua minha frase, invade minha prosa, meu conto.
Eu os conto! [Acrescento matemática].
Subtraio cada travessão invasivo, e acrescento  aspas no que ‘’me foi somado a mim.’’
Divido! Divido em parênteses, quem tá de fora multiplica com quem está dentro, e se trata
então de somas novamente, o ciclo precisa se fechar, há um ponto final à espera.
Mas, não se fecha . . .
Porque há sempre exclamações e reticências ordenando minha escrita.
Eu coloco ponto parágrafo, e recomeço [. . .]

Nenhum comentário:

Postar um comentário