10 de abr de 2012

Rotina

 A cada minuto que passa, soa o meu ritmo, e o tempo cede um instante a mais. 
E a cada instante, recaí sobre a mim a dúvida: Acompanho?
Tarde demais.... meu instinto se arrisca sem mais delongas.
Prossigo? Volto?Paro?
Sequências de incertezas me tomam pelo caminho.
Me perco de vista mas não paro.
Mudo a rota, a rotina.
Perco os mapas, guardo as histórias que eu inventei, e faço delas meu lema.
As novidades me distraem, me perco na trilha, mas não mudo o ritmo.
O medo me invade e causa espanto, só resta culpa.
Culpa por ser quem eu sou, mas essa é condição aceita.
As palavras me inspiram, mas falta aquele ''que'' de inspiração a mais.
Procuro e acho! Nada além de poucos instantes.
Paixões!
Solto o vento pelo caminho, sobra ar e não há quem o respire.
Sobra saudade e não há quem sinta de mim.
Sobra vontade e não há quem a aceite.
Falta amor e não há quem preencha esse vazio.
Me resta a paciência, para continuar.
Me perder de vista, me perder de mim.
Outra vez.



Nenhum comentário:

Postar um comentário